ANÁLISE ENERGÉTICA DA PRODUÇÃO DE MILHO PARA SILAGEM CULTIVADO EM DIFERENTES ESPAÇAMENTOS

Felipe Gabriel Lorenzoni Martins, Jackson Antônio Barbosa, Raphael Comanducci da Silva Carvalho, Alessandro Vieira Veloso, Diego Bedin Marin

Resumo


Tendo em vista a crescente demanda por alimentos e uma agricultura cada vez mais desenvolvida, é importante avaliar os impactos causados pelos agroecossistemas no que se refere à sustentabilidade ambiental. Nesse contexto, o balanço energético constitui uma importante ferramenta para essa avaliação, pois permite contabilizar os “inputs” e “outputs” referentes ao sistema produtivo na forma de energia e determinar a eficiência de cada um. O presente trabalho teve como objetivo avaliar os fluxos de energia do processo de produção do milho para silagem, cultivado em três espaçamentos, 0,90 m, 0,75 m e 0,60 m. A análise foi feita por meio do acompanhamento da cultura em um período de 204 dias (12/11/2013 a 6/6/2014), sendo cada componente envolvido (direta e indiretamente), quantificado e multiplicado por seus respectivos coeficientes energéticos. Em todos os espaçamentos houve a predominância da energia direta sobre a energia indireta. As eficiências para os espaçamentos 0,90 m, 0,75 m e 0,60 m foram respectivamente 9,50%, 9,30% e 9,69%. A análise energética constitui-se em importante instrumental para avaliação da sustentabilidade dos sistemas de produção.

 

PALAVRAS-CHAVE: Balanço energético. Zea mays, cultivo, alimentação animal, ruminante.

 

ENERGETIC ANALYSIS OF CORN PRODUCTION FOR SILAGE GROWN IN DIFFERENT SPACING

ABSTRACT: Given the increasing demand for food and agriculture increasingly development, it is important to assess the environmental impacts of agroecosystems. In this context, the energy balance is an important tool for this assessment because it allows accounting for the systems energy inputs and outputs and determine its effectiveness. This study aimed to evaluate the energy flows from corn production for silage process, grown in three spacing: 0.90 m, 0.75 m, and 0.60 m. The analysis was done monitoring the culture in a period of 204 days (11/12/2013 to 06/06/2014), quantifying each component involved (directly and indirectly) and multiplying them by each respective energy value. In all spacing there was the predominance of the direct over indirect energy. The efficiencies for spacing 0.90 m, 0.75 m, and 0.60 m were respectively 9.50%, 9.30%, and 9.69%. The energy analysis constitutes an important instrument for assessing the sustainability of production systems.

KEYWORDS: Energy balance, Zea mays, cultivation, animal feed, ruminant.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17224/EnergAgric.2015v30n4p418-428