CARACTERÍSTICAS FÍSICO-QUÍMICAS, ENERGÉTICA E DESEMPENHO DA FIBRA DE COCO NA SORÇÃO DE ÓLEOS DIESEL E BIODIESEL

Adriana Ferla de Oliveira, Alcides Lopes Leão, José Cláudio Caraschi, Luciano Caetano de Oliveira, José Evaristo Gonçalves

Resumo


Acidentes envolvendo derramamento de óleo e seus derivados no solo e em corpos hídricos são comuns e preocupantes, uma vez que comprometem a qualidade do ecossistema. Uma forma econômica e eficiente de combater derramamentos de óleo é o emprego do método de sorção utilizando materiais sorventes. Existe uma gama de materiais sorventes, no entanto, os naturais como biomassa e fibras vegetais demonstram interesse pelo baixo custo e boa capacidade sorvente. Existem trabalhos acerca da sorção de óleo cru; no entanto, para diesel e biodiesel, que vem aumentado sua produção, pouco ou nada existe na literatura. O objetivo deste trabalho foi investigar a capacidade sorvente da fibra de coco (Cocos nucifera) frente aos combustíveis, diesel e biodiesel e, compará-la com a turfa utilizada comercialmente. Os biosorventes também foram submetidos à caracterização físico-química e energética.  Grande parte dos testes foi realizada nas faixas granulométricas de £180 μm; 180-425 μm; 425-850 μm e 850-3350 μm. Cada material vegetal possui características físico-químicas e anatômicas distintas, que influenciam na sorção de óleo, seja por absorção ou adsorção. A fibra de coco apresentou capacidade de sorção de diesel e biodiesel semelhante ao sorvente comercial à base de turfa. A determinação do poder calorífico dos biosorventes mostra que estes podem ser utilizados na geração de energia antes e após serem utilizados como sorventes. Desta forma, esses materiais poderão ser empregados após estudos de viabilidade econômica neste setor e ainda incrementar a economia de regiões onde estes são abundantes.

 

Palavras-chave: Sorção de óleo, fibras vegetais e energia.

 

physiochemical, energy CHARACTERISTICS AND PERFORMANCE OF COCONUT FIBER IN THE SORPTION OF DIESEL AND BIODIESEL OILS

 

SUMMARY: Accidents involving oil spills and its derivatives on the soil and in hydric bodies are common and worrying once they endanger the quality of the ecosystem. An economical and efficient way of combating oil spills is the use of the sorption method using sorbent materials. There is a range of sorbent materials, however, the natural ones like biomass and vegetable fibers demonstrate interest due to the low cost and good sorbent capacity. There are works concerning the sorption of crude oil, however for diesel and biodiesel, which had their production increased, there is a little or even nothing exists in the literature. The aim of this work was to investigate the sorption capacity of coconut fiber (Cocosnucifera) confronting to the fuels, diesel and biodiesel and to compare them with the peat commercially used. The biosorventes were also submitted to the physiochemical and energy characterization. Most of the   tests were performed on the granulometric size range of £180 μm; 180-425 μm; 425-850 μm e 850-3350 μm.  The coir fiber presented capacity of diesel and biodiesel sorption similar to the commercial sorbent made of peat. The determination of the calorific power of the biosorbents shows that they can be used for energy generation before and after they are used as sorbents. This way, those materials can be used after studies of economical viability in this sector and still to increase the economy of the areas where they are abundant.

 

Keywords: Oils sorption, vegetable fibers, and energy.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17224/EnergAgric.2011v26n3p01-13