PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE CANAVIEIRO A PARTIR DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA

  • Alisson Neves Harmyans Moreira Escola de Agronomia/Universidade Federal de Goiás
  • Nori Paulo Griebeler Escola de Agronomia/Universidade Federal de Goiás
  • Fernanda Duarte Araujo Himmen Escola de Agronomia/Universidade Federal de Goiás
  • Rherison Tyrone Silva Almeida Escola de Agronomia/Universidade Federal de Goiás

Resumo

 

PLANEJAMENTO DO TRANSPORTE CANAVIEIRO A PARTIR DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA*

 

ALISSON NEVES HARMYANS MOREIRA1, NORI PAULO GRIEBELER1, FERNANDA DUARTE ARAÚJO HIMMEN 1, RHERISON TYRONE SILVA ALMEIDA2

 

1 Escola de Agronomia, EA-UFG, Campus Samambaia, Rodovia Goiânia/Nova Veneza, km 0, CEP 74690-900, Goiânia, GO, Brasil, 1alissonharmyans@gmail.com, 2npgriebeler@gmail.com, 3fernanduarteflorestal@gmail.com.

2 Instituto de Estudos Socioambientais, IESA-UFG, avenida Esperança s/n, Campus Samambaia, CEP 74001-970, Goiânia, GO, Brasil.

* Produção extraída da dissertação do primeiro autor.

 

RESUMO: Elaboraram-se por meio de Sistema de Informação Geográfica (SIG), roteirizações para o transporte canavieiro, tendo em vista a análise de variáveis de dois cenários, o menor caminho e o que oferece melhor desempenho operacional. Na comparação de critérios, os resultados não diferiram significativamente pelo teste t student (σ < 0,05). Os dados subsidiaram a avaliação do custo de reparo e manutenção (CRM) em relação a vida útil e por quilometragem. Foram verificados que as discrepâncias entre os custos tornam-se expressivas a partir da quarta safra chegando a diferença de R$ 52.712,23. Assim, tendo em vista a logística da usina, inferiu-se que o critério do desempenho operacional é o ideal para a frota da empresa, enquanto o menor caminho é a melhor opção para o pagamento do serviço terceirizado.

 

Palavras-chaves: cana-de-açúcar, logística, estradas não pavimentadas.

 

SUGARCANE TRANSPORTATION PLANNING FROM A GEOGRAPHIC INFORMATION SYSTEM (GIS)

 

ABSTRACT: Through the Geographic Information System (GIS), routes for sugarcane transport were elaborated, in view of variable analysis from two scenarios, the shortest path and the one that offers the best operational performance. In the criteria comparison, the results did not differ significantly by the student t test (σ <0.05). The data supported the assessment of the repair and maintenance cost (CRM) in relation to service life and mileage. It was found that the discrepancies between costs become significant as the fourth harvest, reaching a difference of R$ 52,712.23. Thus, in a view of plant logistics, it was inferred that operational performance criterion is ideal to company fleet, while the shortest route is the best option for paying outsourced service.

 

Keywords: sugarcane, logistic, unpaved roads.

Biografia do Autor

Alisson Neves Harmyans Moreira, Escola de Agronomia/Universidade Federal de Goiás
É graduado em Tecnologia em Agrimensura pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG), especialização em MBA Gestão de Projetos em Engenharias e Arquitetura (IPOG), mestre em Agronomia e doutorando em Agronomia (ambos na área de concentração Solo e Água) pela Universidade Federal de Goiás. Trabalhou em obras de infraestrutura de transportes (Rodovias e Ferrovias) e áreas agronômicas (Usinas sucroalcooleiras). Iniciou a docência em 2009, ministrando a disciplina de Topografia para turmas de técnico agrícola no IF Goiano (Ceres extensão Goianésia). Atualmente é professor Assistente da Escola de Agronomia da UFG, responsável pelas disciplinas de Topografia-Geodésia; Cartografia e Geoprocessamento. No que tange a pesquisa, é membro do Núcleo de Pesquisa em Análise e Conservação de Sistemas Agroambientais (ACSA).
Nori Paulo Griebeler, Escola de Agronomia/Universidade Federal de Goiás
Possui graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (1994), mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (1997) e doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (2002). Atualmente é consultor da revista Pesquisa Agropecuária Tropical (UFG) e professor Adjunto da Escola de Agronomia da UFG na qual ministra as disciplinas de Geoprocessamento, Sensoriamento Remoto e Erosão e conservação do solo. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Conservação de Solo e Água, atuando principalmente nos seguintes temas: conservação de água e solo, erosão hídrica, modelo hidrológico, escoamento superficial e SIG. No que tange a pesquisa, é membro do Núcleo de Pesquisa em Análise e Conservação de Sistemas Agroambientais (ACSA).
Fernanda Duarte Araujo Himmen , Escola de Agronomia/Universidade Federal de Goiás

Graduanda em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Goias. Atualmente é integrante do Profloresta, projeto de extensão que envolve ações educacionais e desenvolvimento profissional. Possui experiência na área de recursos florestais,  produção de mudas nativas do cerrado, recuperação de areas degradadas, sensoriamento remoto e gerenciamento de projetos.


Rherison Tyrone Silva Almeida, Escola de Agronomia/Universidade Federal de Goiás
Doutorando em Agronomia pela Universidade Federal de Goiás (2015/1). Mestre em Agronomia pela Universidade Federal de Goiás em 2015 e Bacharel em Ciências Ambientais pela Universidade Federal de Goiás em 2012/2. Atua na área de Cartografia, Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto aplicado ao monitoramento ambiental. Atuou como pesquisador de campo no projeto: Diagnóstico, Medidas Mitigadoras e Prevenção de Processos Erosivos Lineares promovido pela Universidade Federal de Goiás. No Programa de Pós Graduação em Agronomia a nível de Mestrado da Universidade Federal de Goiás, realizou comparações entre bases de dados cartográficos para identificação de áreas de maior vulnerabilidade ambiental na bacia hidrográfica do ribeirão João Leite (GO). Possui conhecimento em softwares de geoprocessamento (ArcGIS, QGIS, gvSIG, ENVI, etc). Realiza cursos de curta duração na área de Geoprocessamento em eventos promovidos e projetos de extensão pela Universidade Federal de Goiás e Universidade Federal do Mato Grosso. No que tange a pesquisa, é membro do Núcleo de Pesquisa em Análise e Conservação de Sistemas Agroambientais (ACSA).

Publicado
2020-06-26
Seção
Planejamento e Desenvolvimento Rural Sustentável