VARIABILIDADE ESPACIAL DA CONDUTIVIDADE HIDRÁULICA DO SOLO SATURADO EM LATOSSOLO AMARELO DISTROCOESO, NO MUNICÍPIO DE CRUZ DAS ALMAS

Karla Silva Santos Alvares de Almeida, Luciano da Silva Souza, Vital Pedro da Silva Paz, Fagner Taiano dos Santos Silva, Davi Ney Santos, Juliana da Silva Lopes Pereira

Resumo


VARIABILIDADE ESPACIAL DA CONDUTIVIDADE HIDRÁULICA DO SOLO SATURADO EM LATOSSOLO AMARELO DISTROCOESO, NO MUNICÍPIO DE CRUZ DAS ALMAS

 

 

KARLA SILVA SANTOS ALVARES DE ALMEIDA1; LUCIANO DA SILVA SOUZA1; VITAL PEDRO DA SILVA PAZ1; FAGNER TAIANO DOS SANTOS SILVA2; DAVI NEY SANTOS1 E JULIANA DA SILVA LOPES PEREIRA1

 

1Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB, Rua Rui Barbosa, 710 – Campus Universitário – CEP 44380-000 – Cruz das Almas – BA, e-mail: karlasilvasantos@yahoo.com.br; lsouza@ufrb.edu.br; vitalpaz@ufrb.edu.br; davineysantos@gmail.com; jslpereira@hotmail.com

2Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, Centro de Ciências Agroveterinárias – CAV, Av. Luiz de Camões, 2090 – CEP 88520-000 -  Lages – SC, e-mail: ftssilva.ufrb@gmail.com

 

 

1 RESUMO

 

O objetivo desse trabalho foi caracterizar a variabilidade espacial da condutividade hidráulica do solo saturado (K0) utilizando dois métodos de laboratório e amostras com diferentes volumes em Latossolo Amarelo Distrocoeso localizado no Município de Cruz das Almas. Foram coletadas amostras com estrutura indeformada em dois tipos de anéis volumétricos com 0,081 m de altura e 0,070 m de diâmetro (≈312 cm3) e com 0,05 m de altura e de diâmetro (98 cm3). Nos mesmos pontos de amostragem da K0 foram coletadas amostras deformadas para quantificação de areia, silte, argila, porosidade total, macro e microporosidade, densidade do solo em uma malha amostral de 7 x 7 pontos espaçados em 2,0 x 2,0 m, totalizando uma área de 196,0 m². Os resultados foram submetidos à análise estatística exploratória e teste de normalidade de Shapiro-Wilk; posteriormente, verificou-se a dependência espacial pela análise geoestatística. Os resultados revelaram que para a profundidade de 0-0,15 m a condutividade hidráulica determinada no permeâmetro de carga constante no cilindro de volume maior apresentou menor coeficiente de variação, indicando uma melhor representatividade das amostras; a densidade do solo apresentou índice de dependência espacial moderada, com alcance de 1,22 m e semivariograma tipo esférico para a profundidade de 0-0,15m; para a profundidade de 0,15-0,30 o índice de dependência espacial foi forte, com alcance de 1,54 m e semivariograma tipo exponencial.

 

Palavras-chave: condutividade hidráulica saturada, Tabuleiro Costeiro, geoestatística.

 

 

ALMEIDA, K. S. S. A.; SOUZA, L. S.; PAZ, V. P. S.; SILVA, F. T. S.; SANTOS, D. N.; PEREIRA, J. S. L.

SPATIAL VARIABILITY OF HYDRAULIC CONDUCTIVITY OF SATURATED SOIL USING TWO LABORATORY METHODS AND SAMPLES WITH DIFFERENTS VOLUMES

 

 

 

 

 

2 ABSTRACT

 

The objective of this work was to characterize the spatial variability of saturated hydraulic conductivity (K0) using two laboratory methods and samples with different volumes in Oxisoil Distrocoeso located in the city of Cruz das Almas. Deformed structural samples were collected in two types of volumetric rings with 0.081 m long and 0.070 m in diameter (312 cm3) and 0.05 m in height and diameter (98 cm3). In the same sampling points of K0 deformed samples were collected for quantification of sand, silt, clay, total porosity, macro and microporosity, bulk density in a sample grid of 7 x 7 points spaced at 2.0 x 2.0 m totaling an area of 196.0 m². The results were submitted to exploratory statistical analysis  and Shapiro-Wilk normality test; later, the spatial dependence was verified by geostatistical analysis. The results showed that for the depth of 0-0.15 m the hydraulic conductivity determined in the constant load permeameter in the higest volume  cylinder showed a lower coefficient of variation, indicating a better representativeness of the samples; soil bulk density showed moderate spatial dependence index, with a range of 1.22 m and pherical-type semivariogram to the depth of 0-0.15m; to the depth of 0.15-0.30 the spatial dependence index was strong, reaching 1.54 m and exponential semivariogram.

 

Keywords: Saturated hydraulic conductivity, coastal plain, geostatistics


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15809/irriga.2017v22n1p259-274

Direitos autorais 2017 IRRIGA