EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA EM FUNÇÃO DOS EXTREMOS DA TEMPERATURA DO AR NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Autores

  • Anderson Amorim Rocha Santos Universidade Federal Fluminense
  • Gustavo Bastos Lyra Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Guilherme Bastos Lyra Universidade Federal de Alagoas
  • Evaldo Paiva Lima EMBRAPA
  • José Leonaldo de Souza Universidade Federal de Alagoas
  • Rafael Coll Delgado Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.15809/irriga.2016v21n3p449-465

Resumo

EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA EM FUNÇÃO DOS EXTREMOS DA TEMPERATURA DO AR NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

 

 

ANDERSON AMORIM ROCHA SANTOS1; GUSTAVO BASTOS LYRA2; GUILHERME BASTOS LYRA3; EVALDO PAIVA LIMA4; JOSÉ LEONALDO DE SOUZA5 E RAFAEL COLL DELGADO2

 

1 Engenheiro Agrônomo, Mestre em Engenharia de Biossistemas, Escola de Engenharia, Universidade Federal Fluminense – UFF, Campus da Praia Vermelha, 24210-240, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil, e-mail: aamorimrs@gmail.com

2 Meteorologistas, Professores Doutores do Departamento de Ciências Ambientais, Instituto de Florestas, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ, Campus UFRRJ, 23897-000, Seropédica, Rio de Janeiro, Brasil, e-mail: gblyra@ufrrj.br; rafaelcolldelgado32@gmail.com

3 Engenheiro Agrônomo, Professor Doutor do Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal de Alagoas – UFAL, BR-104, 57100-000, Rio Largo, Alagoas, Brasil, e-mail:gbastoslyra@gmail.com  

4 Meteorologista, Pesquisador do Centro Nacional de Pesquisa de Solos, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA, Rua Jardim Botânico 1024, 22460-000, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil, e-mail: evaldo.lima@embrapa.br

5 Meteorologista, Professor Doutor do Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal de Alagoas – UFAL, BR-104, 57100-000, Rio Largo, Alagoas, Brasil, e-mail: leonaldojs@yahoo.com.br

 

 

1 RESUMO

 

A aplicação do método de Penman-Monteith FAO56 (PM-FAO56) para estimativa da evapotranspiração de referência (ETo) requer observações de diversos elementos meteorológicos. A maior parte das estações meteorológicas não realiza medidas de todos os elementos, o que restringe a aplicação do PM-FAO56. O objetivo foi avaliar o desempenho dos métodos empíricos de Thornthwaite, Camargo, Hargreaves-Samani, Jensen-Haise e Makkink na estimativa de ETo em função dos extremos de temperatura do ar no estado do Rio de Janeiro (RJ). Foram utilizadas séries meteorológicas entre oito e 34 anos de 10 estações convencionais pertencentes ao Instituto Nacional de Meteorologia localizadas no RJ. As estimativas decendiais e mensais de ETo pelos métodos empíricos foram comparadas com ETo determinada por PM-FAO56 (padrão) para se avaliar a exatidão (Erro Padrão de Estimativa - EPE e Índice de Willmott - d), precisão (coeficiente de determinação - R²) e o desempenho (índice c de Camargo e Sentelhas) dos métodos. Independente da escala de tempo avaliada, o método de Makkink mostrou estimativas com maior exatidão (d > 0,82 e EPE < 0,68 mm d-1), precisão (R² > 0,88) e desempenho (índice c > 0,85) nas estações caracterizadas com clima úmido, subúmido, subúmido seco com pequeno excedente hídrico. Nas demais estações, clima subúmido seco com excedente nulo e semiárido, o método de Hargreaves-Samani teve melhor desempenho (índice c > 0,85). Os métodos de Thornthwaite e Camargo apresentaram estimativas com exatidão (d > 0,90 e EPE < 0,72 mm d-1) e desempenho (índice c > 0,76) entre os melhores e podem ser usados para estimativa de ETo no RJ. As menores exatidões (d < 0,73 e EPE > 1,38 mm d-1) e desempenhos (0,51 < índice c < 0,75) das estimativas foram proporcionadas por Jensen-Haise para todas as estações e escalas de tempo, não sendo recomendado sua aplicação no estado do RJ. Os métodos de Hargreaves-Samani, Jensen-Haise e Makkink devem ser ajustados às condições climáticas do RJ.

 

Palavras-Chave: Penman-Monteith, radiação solar global, amplitude térmica

 

 

 

SANTOS, A. A. R.; LYRA, G.B.; LYRA, G.B.; LIMA, E. P.; SOUZA, J. L.; DELGADO, R. C.

ESTIMATES OF THE REFERENCE EVAPOTRANSPIRATION USING AIR TEMPERATURE EXTREMES IN THE STATE OF THE RIO DE JANEIRO, SOUTHEASTERN BRAZIL

 

2 ABSTRACT

 

The use of the Penman-Monteith FAO56 method (PM-FAO 56) to estimate reference evapotranspiration (ETo) requires several weather elements. However, most weather stations don’t measure all the elements, which restricts the application of PM-FAO 56. The aim of this article was to evaluate the performance of five empirical methods (Thornthwaite, Camargo, Hargreaves-Samani, Jensen-Haise and Makkink) to estimate ETo using air temperature extremes in the state of the Rio de Janeiro (RJ). Times series of weather elements between eight and 34 years from 10 conventional stations of the Brazilian National Institute of Meteorology located in RJ were used. The ten-day and monthly estimates of ETo by empirical methods were compared to ETo determined by PM-FAO 56 (default) to evaluate the accuracy (Standard Error of the Estimate - SEE and Willmott index - d), precision (coefficient of determination - R²) and performance (Camargo and Sentelhas – c Index) of the methods. Independent of the time scale, the Makkink method showed the highest accuracies (d > 0.82 and SEE < 0.68 mm d-1), precision (R² > 0.88) and performance (c Index > 0.85) on the stations, characterized with humid, sub-humid, dry sub-humid with small water surplus. For the other stations, semiarid and dry sub-humid climate with no surplus, the Hargreaves-Samani method had the best performance (c Index > 0.85). The Thornthwaite and Camargo methods presented accuracy (d > 0.90 and SEE < 0.72 mm d-1) and performance (Index c > 0.76) between the top and can be used to estimate ETo in RJ. For all stations and time scales, the worst accuracies (d < 0.73 and SEE > 1.38 mm d-1) and performance (0.51 < Index c < 0.75) estimates were provided by the Jensen-Haise method, so it is not recommended its application in RJ state. The Hargreaves-Samani, Jensen-Haise and Makkink methods should be fitted to the climatic conditions of RJ.

 

Keywords: Penman-Monteith, solar global radiation, temperature amplitude

Biografia do Autor

Anderson Amorim Rocha Santos, Universidade Federal Fluminense

Escola de Engenharia

Área: Agrometeorologia, evapotranspiração

Gustavo Bastos Lyra, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Departamento de Ciências Ambientais 

Áreas: Agrometeorologia, evapotranspiração, manejo da água

 

Guilherme Bastos Lyra, Universidade Federal de Alagoas

Centro de Ciências Agrárias

Áreas: Irrigação e drenagem, manejo da água

Evaldo Paiva Lima, EMBRAPA

EMBRAPA Solos

Área: Agrometeorologia, evapotranspiração, sensoriamento remoto

José Leonaldo de Souza, Universidade Federal de Alagoas

Insituto de Ciências Atmosféricas

Área: Agrometeorologia, radiometria solar, evapotranspiração

Rafael Coll Delgado, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Departamento de Ciências Ambientais

Área:Agrometeorologia, Sensoriamento Remoto

Downloads

Publicado

2018-06-18

Edição

Seção

Artigos