COMPARAÇÃO ENTRE MÉTODOS DE MAPEAMENTO AUTOMÁTICO DE REDE DE DRENAGEM UTILIZANDO SIG

Autores

  • Raoni Wainer Duarte Bosquilia Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR - Câmpus Dois Vizinhos
  • Peterson Ricardo Fiorio Universidade de São Paulo - USP/ESALQ
  • Sérgio Nascimento Duarte Universidade de São Paulo - USP/ESALQ
  • Rafael Mingoti Embrapa Gestão Territorial

DOI:

https://doi.org/10.15809/irriga.2015v20n3p445

Resumo

COMPARAÇÃO ENTRE MÉTODOS DE MAPEAMENTO AUTOMÁTICO DE REDE DE DRENAGEM UTILIZANDO SIG

 

 

RAONI WAINER DUARTE BOSQUILIA1; PETERSON RICARDO FIORIO2; SERGIO NASCIMENTO DUARTE2 E RAFAEL MINGOTI3

 

1Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, Câmpus Dois Vizinhos, Dois Vizinhos, PR, raonibosquilia@utfpr.edu.br

2Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" – ESALQ, Universidade de São Paulo, Piracicaba, SP, fiorio@usp.br; snduarte@usp.br

3Embrapa Gestão Territorial, Campinas, SP, rafael.mingoti@embrapa.br

 

 

1 RESUMO

 

A determinação da rede de drenagem por meio de Modelos Digitais de Terreno (MDT) vem se tornando um método cada vez mais importante e utilizado. Deste modo, o presente trabalho teve por objetivo comparar dois diferentes modelos de mapeamento automático de drenagens: D-8 e D-Infinity. Utilizou-se a rede de drenagem presente em cartas topográficas de Piracicaba-SP, escala 1:10.000, como prova de campo. O MDT foi gerado a partir das curvas de nível com equidistância de 5 metros presente nessas cartas. Para uma melhor comparação entre os métodos, foram analisados dois fatores: Comprimento das Drenagens e Número de Nascentes, sendo as análises realizadas apenas em caráter quantitativo. Para a avaliação desses fatores foram dispostas ao acaso doze amostras circulares de área 1,76 km² e realizou-se um teste de médias de Tukey. Para os dois parâmetros estudados, os modelos se apresentaram estatisticamente diferentes da prova de campo, porém as drenagens se apresentaram semelhantes visualmente às cartas topográficas. Quanto às nascentes, os métodos não apresentaram bons resultados. Mesmo assim, os modelos automáticos de mapeamento da rede de drenagem se mostraram ótimas ferramentas para determinar cursos d’água.

 

Palavras-chave: Direção de Fluxo, Fluxo Acumulado, MDT, bacia hidrográfica, TauDEM.

 

 

BOSQUILIA, R. W. D.; FIORIO, P. R.; DUARTE, S. N.; MINGOTI, R.

COMPARISON OF AUTOMATIC METHODS OF DRAINAGE NETWORK MAPPING USING GIS

 

 

2 ABSTRACT

 

Determining drainage network by Digital Terrain   Models (DTM) has become an increasingly important and used method.   Thus, this study aimed to compare  two different models of automatic mapping of drainage:   D-8 and  D-Infinity. The  drainage network   from  topographic charts of Piracicaba-SP, 1:10.000 scale was used as field reality.   DTM was generated based on 5 meter-contour lines in those charts. Two factors were analyzed for a better comparison between methods:  Length of Drainage and Number of Springs. The analyses were  performed just  quantitatively.  A total of twelve circular samples  at random, 1.76 km² area,  were generated  to evaluate those factors. Also, means were compared using the Tukey test.  For both parameters, the models were statistically different from the field reality; however, drainages were visually similar to the topographic charts.  As to   the springs, good results could not be found based on  methods.  Even so, the automatic models of drainage network mapping  proved to be excellent tools to determine waterways.

 

Keywords: flow direction, accumulated flow, DTM, watershed, TauDEM.

Biografia do Autor

Raoni Wainer Duarte Bosquilia, Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR - Câmpus Dois Vizinhos

Professor - UTFPR - Câmpus Dois Vizinhos

Área de Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento

Peterson Ricardo Fiorio, Universidade de São Paulo - USP/ESALQ

Professor - Departamento de Engenharia de Biossistemas

Área de Topografia e Geoprocessamento

Sérgio Nascimento Duarte, Universidade de São Paulo - USP/ESALQ

Professor -  Departamento de Engenharia de Biossistemas

Área de Hidrologia e Hidráulica

Rafael Mingoti, Embrapa Gestão Territorial

Analista em Geoprocessamento - EMBRAPA Gestão Territorial

Downloads

Publicado

2015-10-12

Como Citar

BOSQUILIA, R. W. D.; FIORIO, P. R.; DUARTE, S. N.; MINGOTI, R. COMPARAÇÃO ENTRE MÉTODOS DE MAPEAMENTO AUTOMÁTICO DE REDE DE DRENAGEM UTILIZANDO SIG. IRRIGA, [S. l.], v. 20, n. 3, p. 445–457, 2015. DOI: 10.15809/irriga.2015v20n3p445. Disponível em: https://irriga.fca.unesp.br/index.php/irriga/article/view/879. Acesso em: 2 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos