USO DE CAMALHÕES DE BASE LARGA PARA A VIABILIZAÇÃO DO CULTIVO DE SOJA EM TERRAS BAIXAS

  • Ricardo Benetti Rosso Instituto Federal Catarinense - Campus Concórdia
  • Marcia Xavier Peiter Universidade Federal de Santa Maria
  • Adroaldo Dias Robaina Universidade Federal de Santa Maria
  • Rogério Ricalde Torres Universidade Federal de Santa Maria
  • Jardel Henrique Kirchner Universidade Federal de Santa Maria

Resumo

USO DE CAMALHÕES DE BASE LARGA PARA A VIABILIZAÇÃO DO CULTIVO DE SOJA EM TERRAS BAIXAS

 

 

RICARDO BENETTI ROSSO1; MARCIA XAVIER PEITER2; ADROALDO DIAS ROBAINA3; ROGÉRIO RICALDE TORRES4 E JARDEL HENRIQUE KIRCHNER5

 

1Eng. Agrônomo, Doutor, Professor do Instituto Federal Catarinense, Campus Concórdia, SC, Brasil, CEP: 89703-720, ricardo.rosso@ifc.edu.br.

2Eng. Agrônoma, Doutora, Professora Associada do Departamento de Engenharia Rural, UFSM, Santa Maria, RS, Brasil, CEP: 97195-000, mpeiter@gmail.com.

3Eng. Agrônomo, Doutor, Professor Titular do Departamento de Engenharia Rural, UFSM, Santa Maria, RS, Brasil, CEP: 97195-000, diasrobaina@gmail.com.

4Eng. Agrônomo, Doutor, Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Vacaria, RS, Brasil, CEP: 95219-899, rogerio.torres@vacaria.ifrs.edu.br

5Eng. Agrônomo, Doutor, Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Ibirubá, RS, Brasil, CEP: 98200-000, jardel.kirchner@ibiruba.ifrs.edu.br.

 

 

1 RESUMO

 

O estado do Rio Grande do Sul possui extensas áreas de terras baixas que são predominantemente ocupadas pela orizicultura que nos últimos anos vem enfrentando sérios problemas. A alternativa encontrada foi o cultivo de soja nestas áreas. Porém, estas áreas apresentam restrições físicas do solo, como por exemplo a má drenagem, que acarreta na elevação do nível freático próximo a superfície. Neste sentido, foi realizado um estudo com objetivo de avaliar a utilização de técnicas de drenagem, para viabilizar o cultivo de soja, através do rebaixamento do nível freático. Estas técnicas de drenagem são compostas pelos camalhões de base larga de 22,5; 15 e 7,5 m e a drenagem superficial. Como parâmetros de avaliação da eficiência no rebaixamento do nível freático foram utilizados os índices SEW30 SCmod e IDS, e também a produtividade e os componentes de produção da soja. Os resultados, demonstraram a eficiência do camalhão de base larga no rebaixamento do nível freático em comparação a drenagem superficial.  Assim recomenda-se a utilização de camalhões de base larga de 7,5 e 15 m para o cultivo de soja em terras baixas.

 

Palavras chave; drenagem, SEW30, nível freático, várzea.

 

ROSSO R. B.; PEITER M. X.; ROBAINA A. D.; TORRES R.R.; KIRCHNER J. H.

USE OF BROAD BED FURROW FOR FEASIBILITY OF SOYBEAN CULTIVATION IN LOWLANDS

 

 

2 ABSTRACT

 

The state of Rio Grande do Sul has extensive lowland areas predominantly occupied by rice cultivation, which in recent years has been experiencing serious problems. The alternative found was to implement soybean cultivation in these areas. However, they present physical soil restrictions, such as poor drainage, which leads to elevation of the water table near the surface. In this sense, a study was carried out with the objective of evaluating the use of drainage techniques to enable soybean cultivation by lowering the water table. The drainage techniques were composed of a broad bed ridge of 22.5, 15 and 7.5 meters and surface drainage. SEW30, SCmod and IDS indices, as well the productivity and components of soybean production, were used as parameters for the evaluation of efficiency in lowering the water table. Among the broad bed ridges, 7.5 m wide and 15 m wide base were the most successful in the two harvests. Thus, the use of 7.5 and 15 m wide broad bed for cultivation of soybeans in lowlands is recommended.

 

Keywords: drainage, SEW30, water table, lowland.

Biografia do Autor

Marcia Xavier Peiter, Universidade Federal de Santa Maria
Eng. Agrônoma, Doutora, Professora Associada do Departamento de Engenharia Rural, UFSM.
Adroaldo Dias Robaina, Universidade Federal de Santa Maria
Eng. Agrônomo, Doutor, Professor Titular do Departamento de Engenharia Rural, UFSM.
Publicado
2018-12-21
Seção
Artigos