CANOPY TEMPERATURES AND ACCUMULATED DEGREE DAYS ON COTTON PLANTS UNDER WATER DEFICIT

  • João Henrique Zonta Embrapa Algodão, M.SC e Dr. em Engenharia Agrícola
  • Rudah Marques Maniçoba
  • Ziany Neiva Brandão
  • Mario Anastasio Carrillo
  • José Renato Cortez Bezerra

Resumo

CANOPY TEMPERATURES AND ACCUMULATED DEGREE DAYS ON COTTON PLANTS UNDER WATER DEFICIT

 

 

JOÃO HENRIQUE ZONTA1; RUDAH MARQUES MANIÇOBA2; ZIANY NEIVA BRANDÃO3; MARIO ANASTASIO CARRILLO4 E JOSÉ RENATO CORTEZ BEZERRA5

 

1Embrapa Algodão, Rua Osvaldo Cruz, 1173, Centenário, Campina Grande – PB, CEP: 58428-095, e-mail: joao-henrique.zonta@embrapa.br

2Engenharia Agrícola, Universidade Federal Rural do Semiárido, Av. Francisco Mota, 572 - Bairro Costa e Silva, Mossoró - RN, CEP: 59625-900, e-mail: rudahmanicoba@gmail.com

3Embrapa Algodão, Rua Osvaldo Cruz, 1173, Centenário, Campina Grande – PB, CEP: 58428-095, e-mail: ziany.brandao@embrapa.br

4SmartFieldTM, Inc, n. 4617, 50th Street, Lubbock, Texas, 79414, e-mail: mario.carrillo@smartfield.com

5Embrapa Algodão, Rua Osvaldo Cruz, 1173, Centenário, Campina Grande – PB, CEP: 58428-095, e-mail: jose.cortez-bezerra@embrapa.br

 

 

1 ABSTRACT

 

Canopy temperature is one of the best integrators of plant health and has been successfully used for irrigation scheduling. Therefore, the objective of this study was to evaluate the canopy temperature of cotton plants under water stress at different stages of the crop cycle and to determine the accumulated degree days based on canopy temperature. It was applied water deficit periods of 15 days at the following phenological stages: First Square, First Flower, Peak Bloom and Opening Bolls and control treatment. Canopy temperature was obtained using SmartCrop® wireless infrared temperature sensors. The results showed higher canopy temperatures during water deficit periods. For water deficit periods, canopy temperature values were always above the optimum temperature for cotton metabolism. As a result of the stress caused by water deficit, cotton yield was significantly reduced, with the higher yield loses recorded when applied deficit occurred during flowering stages (beginning and peak). Accumulated degree days also varied according to water stress, with a shortened phenological cycle for treatments with water deficit in comparison to the control without stress. The period for fiber thickening was also influenced by the variation in canopy temperature due to water stress, which may reflect decline in fiber quality.

 

Keywords: Irrigation; Phenological cycle; Stress; Environmental conditions; Infrared thermometry.

 

 

ZONTA, J. H.; MANIÇOBA, R. M.; BRANDÃO, Z. N.; CARRILLO, M. A. E BEZERRA, J. R. C.

TEMPERATURA DO DOSSEL E GRAUS DIA ACUMULADOS EM ALGODOEIRO SOB DÉFICIT HÍDRICO

 

 

 

 

 

2 RESUMO

 

A temperatura do dossel é um dos melhores assimiladores da saúde das plantas e tem sido usada com sucesso para manejo da irrigação. O objetivo deste estudo foi avaliar a temperatura do dossel do algodoeiro sob déficit hídrico em diferentes estágios fenológicos e determinar os graus dia acumulados a partir da temperatura do dossel.  Foram aplicados períodos de déficit hídrico de 15 dias nos seguintes estádios fenológicos: Botão floral, Início do florescimento, Pico do florescimento e Abertura do Capulhos, além da testemunha. A temperatura do dossel foi obtida usando sensores sem fio de temperatura infravermelho SmartCrop®. Os resultados mostraram maiores temperaturas do dossel durante o déficit hídrico, quando comparados a testemunha. Para os períodos de déficit hídrico a temperatura do dossel esteve sempre acima da temperatura ótima para o metabolismo do algodoeiro. Devido ao déficit hídrico, a produtividade do algodoeiro foi significantemente reduzida, com os piores resultados para o déficit durante o florescimento (início e pico). Os graus dia acumulados variaram em função do estresse hídrico, com as plantas completando seu ciclo mais precocemente. O período de espessamento das fibras foi influenciado pela variação na temperatura do dossel devido ao estresse hídrico, podendo refletir em declínio da qualidade da fibra.

 

Palavras-chave: Irrigação, Ciclo fenológico, Estresse, Condições ambientais, Termometria por infravermelho.

Biografia do Autor

João Henrique Zonta, Embrapa Algodão, M.SC e Dr. em Engenharia Agrícola
Pesquisador A da embrapa Algodão setor de irrigação
Rudah Marques Maniçoba
Aluno de Doutorado no programa de Irrigação e Drenagem na Universidade Federal Rural do Semiárido.
Ziany Neiva Brandão
Analista A da Embrapa Algodão no setor de Sensoriamento Remoto
Mario Anastasio Carrillo
Engenheiro Agrônomo, gerente da SmartField Inc.
José Renato Cortez Bezerra
Pesquisador A da Embrapa Algodão na área de Irrigação e Drenagem
Publicado
2018-12-21
Seção
Artigos